Operação policial resultou na detenção de cerca de 500 suspeitos, enquanto DJ Alok animava a Praia de Copacabana

Enquanto o DJ Alok agitava a Praia de Copacabana, a Polícia do Rio levou 500 suspeitos a delegacias locais. Dessas detenções, 32 resultaram em prisões e apreensões. Entre os detidos, 17 eram suspeitos capturados e 15, menores apreendidos. A maioria dos suspeitos foi pega por furtos em flagrante, mas menos de 10% permaneceram presos. A atuação policial ainda levou à apreensão de seis menores por roubo e à captura de nove procurados por mandados de busca e apreensão. As ocorrências foram distribuídas entre delegacias em Copacabana, Ipanema e Leblon, abrangendo toda a Zona Sul. Operações nas entradas do show e disfarces de agentes na multidão resultaram nas detenções. Itens como soco inglês, canivetes, tesouras e facas foram confiscados durante bloqueios pela PM. Além das prisões, uma investigação revelou atividades suspeitas nas redes sociais, incluindo anúncios de roubos antecipados por um grupo autodenominado "os bebel". Esse grupo, associado a roubos de iPhones, usou termos como "chuva de maçã e quebração de cara" para descrever suas táticas. A PM atuou para garantir a segurança e tranquilidade do público durante o evento.
Facebook
Twitter
WhatsApp

Enquanto o DJ Alok agitava a Praia de Copacabana, a Polícia do Rio levou 500 suspeitos a delegacias locais. Dessas detenções, 32 resultaram em prisões e apreensões. Entre os detidos, 17 eram suspeitos capturados e 15, menores apreendidos.

A maioria dos suspeitos foi pega por furtos em flagrante, mas menos de 10% permaneceram presos. A atuação policial ainda levou à apreensão de seis menores por roubo e à captura de nove procurados por mandados de busca e apreensão.

As ocorrências foram distribuídas entre delegacias em Copacabana, Ipanema e Leblon, abrangendo toda a Zona Sul. Operações nas entradas do show e disfarces de agentes na multidão resultaram nas detenções.

Itens como soco inglês, canivetes, tesouras e facas foram confiscados durante bloqueios pela PM. Além das prisões, uma investigação revelou atividades suspeitas nas redes sociais, incluindo anúncios de roubos antecipados por um grupo autodenominado “os bebel”.

Esse grupo, associado a roubos de iPhones, usou termos como “chuva de maçã e quebração de cara” para descrever suas táticas. A PM atuou para garantir a segurança e tranquilidade do público durante o evento.

Facebook
Twitter
WhatsApp

Leia Mais