Saneamento básico: apesar de tardios, investimentos em São Gonçalo são ‘luz no fim do túnel’

Facebook
Twitter
WhatsApp

Melhorias feitas pela Águas do Rio levam pela primeira vez água encanada para mais de 43 mil pessoas. Sistema de esgotamento receberá aporte de R$ 755 milhões em cinco anos

“Sabe o que é não ter água? Essa foi a minha realidade e a dos meus vizinhos nos últimos 10 anos. Imagina meu drama sendo mãe de criança autista…Porém, agora consigo lavar louça e roupa. E ver minha filha brincando com a água que sai da mangueira é uma felicidade. Só tenho a agradecer, tudo mudou”. O relato entusiasmado é de Patrícia Correia da Silva, que vive no bairro Sacramento, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio. A história dela é parecida com a de milhares de moradores do município, que tiveram a vida transformada após a chegada da Águas do Rio, em novembro de 2021. Inclusive, cerca de 43 mil gonçalenses tiveram, pela primeira vez, água tratada nas torneiras. Ao todo, mais de 415 mil foram beneficiados com a melhoria nas redes de abastecimento.

Recuperar sistemas existentes e ampliar serviços de saneamento básico são os objetivos iniciais da concessionária. Com este foco, a empresa investiu mais de R$ 100 milhões em quase dois anos de operação em São Gonçalo. Para os próximos cinco anos, está previsto o investimento total de R$ 1,2 bilhão, sendo R$ 445 milhões no sistema de água e R$ 755 milhões em coleta e tratamento de esgoto.

Entre as principais ações está o combate a perdas de água, com redução dos indicadores atuais de 77% para 25%. Recentemente, o equivalente a mais de 780 piscinas olímpicas de água tratada foi recuperado para integrar o sistema de abastecimento com os reparos de grandes vazamentos no município. Um em específico, no bairro Mutondo, existia há mais de 60 anos e causava transtornos aos moradores próximos. Com este foco também, mais de 100 ligações irregulares foram retiradas de uma adutora, no Morro do Querosene, beneficiando 20 bairros do entorno.

O resultado é mais água dentro do sistema de distribuição, viabilizando a recuperação, ampliação e construção de reservatórios, o que garante segurança para o abastecimento da população. Trata-se de 1,8 billhão de litros de água recuperado no trabalho de combate a perdas, quantidade suficiente para abastecer mais de 10 milhões de pessoas por um dia.

Também está no planejamento a melhoria do sistema de esgotamento sanitário, com a modernização das estações existentes, recuperação, substituição e implantação de redes, além da instalação de novas elevatórias e do cinturão de captação de esgoto no entorno da Baía de Guanabara.

Serviço de sistema de abastecimento de água

De acordo com técnicos da empresa, os resultados vêm sendo conquistados rua a rua, com a recuperação de unidades, interligações, substituições de sistemas de bombeamento, entre outras ações.

“Desde novembro de 2021, beneficiamos mais de 415 mil pessoas com a melhoria do abastecimento. E, deste total, cerca de 43 mil moradores tiveram, pela primeira vez, água tratada em suas torneiras. Esta realidade nos motiva diariamente a seguir trabalhando. Estamos cientes do desafio da universalização dos serviços de água e esgoto e, para isso, fazemos altos investimentos nos sistemas da cidade, afinal temos o compromisso de mudar essa realidade e melhorar a qualidade de vida de mais de um milhão de gonçalenses”, afirmou Pedro Augusto Freitas, diretor-superintendente da Águas do Rio.

Até o momento, cerca de 33 quilômetros de rede de distribuição de água foram implantados, e mais de 218 mil serviços, executados, como interligações e substituições no sistema de bombeamento. Também foram realizados diversos reparos no combate a perdas de água, contribuindo para aumentar o volume e a pressão de água em diversos bairros da cidade.

Um exemplo foi o conjunto de ações realizadas em novembro passado, aproveitando a paralisação anual do sistema Imunana-Laranjal (operado pela Cedae). Foram executadas 24 intervenções em um único dia, com destaque para o reparo de um vazamento na adutora localizada no bairro Lindo Parque, que desperdiçava 1 milhão de litros de água por dia. Só este conserto beneficiou mais de 150 mil pessoas que passaram a receber a água que antes era desperdiçada.

Serviço de esgotamento sanitário

Na Estação de Tratamento de Esgoto São Gonçalo (ETE/SG), a maior do sistema da cidade e localizada no bairro Boa Vista, a concessionária vem trabalhando para ampliar sua capacidade de 350 l/s (litros por segundo) para 650 l/s. Para isso, a concessionária reativou bombas e substituiu grades deterioradas que precisam filtrar dejetos que chegam na estação, além da realização de manutenções dos sete aeradores, da elevatória de recirculação de lodo e dos tanques responsáveis por manter as bactérias que tratam o esgoto.

De acordo com Diógenes Lyra, diretor-executivo da Águas do Rio, a ampliação da capacidade da ETE acontecerá em paralelo às melhorias na outra estação de tratamento da cidade, a Apolo, e com a conclusão da obra da ETE Alcântara e de seus troncos coletores, sob responsabilidade do Governo do Estado e com previsão de ser finalizada em três anos. Juntas, as ETEs devem tratar o esgoto de cerca de 500 mil pessoas.

“Todo esse trabalho é absolutamente estratégico para a recuperação da Baía de Guanabara nos próximos cinco anos. É nesse período que estaremos focados na construção do chamado ‘cinturão de proteção’ da baía, com a implantação de coletores de esgoto em todos os municípios que circundam o ecossistema, incluindo São Gonçalo”, explicou Diógenes.

Facebook
Twitter
WhatsApp

Leia Mais